Diagóstico Empresarial

Um método prático para identificar oportunidades e planejar a melhoria de processos empresariais.

Você está procurando orientação no planejamento e lançamento de sua estratégia de melhoria de qualidade, produtividade ou redução de custos? Planeja implantar ferramentas avançadas de gestão e está em dúvida sobre qual a metodologia mais adequada: ISO 9001, Kaizen, Balanced Scorecard, Six Sigma, etc.? Gostaria que uma organização experiente e independente avaliasse a capacidade de seus processos na realização de seus planos, projetos e compromissos? Deseja uma abordagem prática para avaliar a capacidade dos processos de seus fornecedores e parceiros? Se afirmativo, considere o Modelo de Maturidade de Processos.

 

POR QUE O MODELO DE MATURIDADE DE PROCESSOS?

 

A maturidade mede a extensão em que o processo é explicitamente definido, gerenciado, medido, controlado e eficaz. O conceito básico é de que as organizações maduras têm processos sistematizados e métodos documentados de realizar suas atividades. Organizações maduras atingem seus objetivos de qualidade, prazos e custos de forma consistente e eficiente.

 

Organizações imaturas não pensam em termos de processos e seus métodos variam conforme as circunstâncias e as pessoas que executam as tarefas. Seus resultados são imprevisíveis e inconsistentes. Elas criam objetivos mas, com muita frequência, eles são perdidos por largas margens de erro. Em muitos casos, a qualidade não é a desejada e os prazos e custos podem ser muito maiores do que os planejados.

 

O Modelo de Maturidade de Processos é um referencial usado para avaliar o grau de maturidade gerencial de um processo empresarial e sua capacidade de realizar seus objetivos de forma eficaz e consistente. O Modelo de Maturidade é estruturado em cinco níveis  e fornece informações que orientam a empresa na formulação de seu plano de melhoria da qualidade e produtividade e na seleção das ferramentas de melhoria mais adequadas ao seu estágio de maturidade gerencial.

Cada estágio representa um nível diferente de evolução da gestão de processos de elementar a mais avançada. Fornecendo um claro roteiro através de cada estágio, se elimina a abordagem usual de “pagar para ver” no lançamento de novos programas e implementação de técnicas e ferramentas de gestão e melhoria de processos. Pelo contrário, você saberá onde e como começar, para onde ir, como se manter na rota traçada e quais os progressos alcançados.

 

JUNTANDO AS PEÇAS

 

Imagine que suas ações de melhoria formam um quebra-cabeças, cujas peças estão firmemente montadas e integradas no nível 5 do Modelo de Maturidade. No começo, algumas peças estão montadas e outras não. O diagnóstico baseado no Modelo de Maturidade mostrará claramente esta situação e fornecerá valiosas informações para orientar a montagem das peças soltas de forma ordenada e eficaz. Pondo sua estratégia em ação, você começará a encaixar os diferentes elementos de cada peça. O resultado final é o alcance dos três objetivos básicos da melhoria de processos:

 

– Melhoria da previsibilidade: o primeiro resultado esperado de uma organização madura é a diminuição da diferença entre resultados desejados e reais (prazos, custo e qualidade).

 

– Melhoria do controle: organizações mais maduras se tornam mais efetivas no controle de seu desempenho dentro de limites especificados e desejados.

 

– Melhoria da eficácia: com a evolução da maturidade, a organização elimina desperdícios, falhas e retrabalhos. Custos e prazos são reduzidos, qualidade e produtividade crescem.

 

O PROCESSO DE AVALIAÇÃO

 

Mediante entrevistas com pessoas chaves e instrumentos de diagnóstico especialmente projetados, nosso consultor trabalhará com sua equipe, previamente treinada na metodologia, na avaliação de processos selecionados. Em quatro passos somente, você estará pronto para deslanchar seu programa de melhoria de processos.

1. Planejamento: definição do escopo do diagnóstico, seleção dos processos, escolha e treinamento da equipe de diagnóstico, definição da logística, cronograma e pessoas envolvidas.

2. Diagnóstico: realização de entrevistas e levantamento de dados sobre os processos.

3. Relatório: reunião com dirigentes para comunicação das conclusões e recomendações e discussão dos próximos passos.

4. Plano de ação: elaboração do plano de melhoria de processos, conforme decisões da reunião de discussão do relatório de diagnóstico.

 

O prazo para os quatro passos depende da complexidade e número de processos selecionados e da disponibilidade de tempo de diretores e gerentes. Usualmente, dura de 4 a 8 semanas.

 

UM MODELO ORIENTADO PARA RESULTADOS

 

Na conclusão do diagnóstico, você conhecerá melhor o estágio da gestão de processos em sua organização. Você verá claramente, o que precisa ser feito para sanar as deficiências, incluindo a introdução de novas ferramentas de gestão e melhoria de processos, capacitação de líderes e suas equipes.